Aldeia do concelho de Castanheira de Pêra, distrito de Leiria

19
Set 20

 

SARDINHAS OU FRANGO?

Hoje almocei sardinhas assadas.

Ao almoço minha esposa perguntou: A como foram as sardinhas?

A 5 € (4,99) disse eu. Mais um euro do que a semana passada.

Estão baratas... Nós achamos que estão baratas. De facto o ano passado andaram sempre por 7 ou 8 € o quilo.

Com esta conversa a cabeça de repente dá voltas e pensámos: Muito mais barato está o frango! O “E. Leclerc” costuma ter frango a 1,49 o quilo.

Como tudo muda!

Bom, isto fez-me lembrar uma passagem real, que ouvi contar, há vários anos atrás.

O Zé da Alagoa, José Pereira Henriques, havia outro Zé da Alagoa, de geração anterior à minha (José Simões). Este Zé da Alagoa andou comigo e com outros de idades próximas na Escola Primária de Sarzedas de S. Pedro.

Antigamente algumas crianças da Alagoa vinham para a Escola de Sarzedas por ser mais perto do que Vila Facaia e por relações familiares.

A Alagoa fazia parte da freguesia de Castanheira de Pera, sendo assim integrada no concelho, quando este foi criado em 1914. Alguns anos depois, a pedido dos seus habitantes foi desanexada de Castanheira e passou para Freguesia de Vila Facaia e concelho de Pedrógão Grande. A importâncias das freguesias era grande à época, e era mais fácil e mais perto ir a Vila Facaia do que à Castanheira. Anos mais tarde com o desenvolvimento de Castanheira durante o Séc XX, com a construção de estradas novas e a existencia de transportes públicos a várias horas  concluíram que foi um erro… mas assim permaneceram até aos dias de hoje.

Dizia eu, que o Zé da Alagoa, restaurou ou fez de novo umas alminhas ao fundo do lugar da Alagoa.  Julgo que por um voto que fez, por ter ido à guerra do ultramar e ter regressado são e salvo.

As "alminhas" ou "almas" eram e são, onde ainda existem, uns pequenos nichos construidos à beira dos caminhos, normalmente em cruzamentos, que antigamente eram pedonais e para carros de bois ou de outros animais de tração e onde passavam também todas as pessoas a pé. Nesses nichos era normalmente colocada uma imagem do Purgatório em chamas onde se viam também as almas a expiarem os seus pecados. Assim aos transeuntes era "pedido" uma oração por essas almas. Não fará sentido construir umas alminhas junto dum auto estrada, mas atualmente vêm-se muitos destes nichos novos à beira das estrada, não com as tais imagens das alminhas mas com santinhos conhecidos, muito especial com Nossa Senhora Fátima e os tres pastorinhos.

A sul da aldeia da Sarzedas do Vasco existe um local denominado “As Almas”.

Situa-se no cruzamento da estrada que vem da Salaborda e segue para Sarzedas de S. Pedro e a estrada que vai do lugar para o Vale das Mós.

Não sendo da minha lembrança mas ouvi contar aos antigos, que houve ali um nicho com umas alminhas, que acabou por se arruinar e nunca mais foi recuperado. Fincando contudo o nome no local.

Este local foi o cruzamento de estradas mais importante a sul da aldeia, dado que se entrava nesta pela estrada que sobe pelo Ramalhão até às Sobreiras. A estrada que seguia para Sarzedas de S. Pedro passava a sul da casa do falecido Manuel Rodrigues, conhecido por Manuel das Chitas. A estrada que atualmente segue das Sobreiras e passa a norte da casa deste senhor foi feita nos anos 50 talvez 1957 ou 1958 não tenho a localização exata no tempo mas lembro-me de andar lá o cilindro a compactar a brita.

A nascente  da aldeia de Campelos, Vila Facaia, quem for pela estrada que segue na direção da aldeia do Cume  encontra ali perto um nicho de alminhas talvez o mais antigo e mais paradigmático das redondezas.  ali era um cruzamento importante, entre a antiga estrada que seguia de Vila Facaia para Rabigordo, Mosteiro e  a que ia de Campelos para Cume, Ramalho, etc. Deixo umas imagens deste nicho recuperado em 2002.

Existe também junto à estrada que segue do alto da Senhora do Pranto até ao Trevim, pelo alto das montanhas um local denominado Almas do Coito. Ai também um cruzamente entre a referida estrada, que era única entre Figueiró e Castanheira até ao principio do Séc XX,  e a estrada que ligava as aldeias de Sarzedas, Moita , Carregal com Vilas de Pedro. Aí terão existido também umas "almas" antigas. Atualmente existe um nicho bastante grande, contemporaneo, algo bonito, mas que nada tem a ver com a antiga construção.

Em 1964 a quando das comemorações do cinquentenário do concelho de Castanheira de Pera foram construidos três nichos dedicados à Nossa Senhora dos Bons Caminhos. Um no Souto Fundeiro à entrada do Concelho, outro no Troviscal e outro junto ao ramal do Coentral, na estrada que segue para Lousã. Inaugurados pelo Bispo Ernesto Sena de Oliveira. Todos foram destruidos não sei exatamente porquê!

 

 

 

 

Ouvi então contar, porque de facto não estive presente, que no dia da inauguração, esteve presente o então Padre Carlos, de Pedrógão, que presidiu ao Te Deum. Estiveram bastantes pessoas, sendo algumas da Sarzedas do Vasco. Depois da cerimónia houve um lanche que entre outros aperitivos teve sardinhas assadas, febras e frango. Com a mesa posta e a comida à vista, uma senhora terá prevenido a outra:

Ó Fulana, (?) olha que tu, não comas sardinhas!

Independentemente do preço das sardinha e do frango à época, deixo ao critério do leitor, as conclusões.

publicado por Sir do Vasco às 15:36

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Setembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

5 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO