Aldeia do concelho de Castanheira de Pêra, distrito de Leiria

13
Out 16

ANTES DA BROA

Amassa-se a farinha, mistura-se o fermento e deixa-se a levedar.

Agora é preciso aquecer o forno.

Pois é, para cozer a broa é preciso aquecer o forno e para aquecer o forno é preciso lenha.

Atualmente em quase todos os arredores das aldeias existem árvores por podar, árvores secas, arvores a precisar de desbaste. A fuga de pessoas para os grandes centros deixou as aldeias sem gente nova e as propriedades ao abandono. De vez enquanto aparece um “teimoso” e lá vai limpando, cortando silvas. Arranjar lenha é somente preciso levar a ferramenta adequada seja motosserra, serrote ou machado e querer manobra-la. Muita gente dá gratuitamente de boa vontade a lenha das suas árvores, o difícil é arranjar quem queira ir lá cortá-la. Antigamente não era assim, as propriedades e as árvores andavam limpas e a lenha era sempre precisa para cozinhar em casa.

Quando se pretendia aquecer o forno, recorria-se aos gravetos de pinheiro.

Quem sabe o que são gravetos (chamiço, garavato, garaveto, gravato)?

Os gravetos são os ramos secos das árvores. Na Sarzedas um molho de gravetos de pinheiro foi muitas vezes a solução rápida para aquecer o forno. Mas não era fácil dado que os gravetos estavam altos e agarrados ao tronco. Então inventaram o gancho para gravetos. Uma vara comprida de 4 ou 5 metros com um gancho de ferro ou madeira atado com um arame ou pregado na ponta. Com esse gancho puxavam-se os ramos secos para baixo com força até partirem, fazia-se um molho atado com uma corda e levava-se às costas ou à cabeça até ao forno .

 

gancho graveto061.jpg

 

publicado por Sir do Vasco às 22:54

Outubro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO