Aldeia do concelho de Castanheira de Pêra, distrito de Leiria

25
Fev 09

    

 

 

 
 
CASAMENTOS
 
Domingo gordo, dia 22-02-2009, na SIC, uma notícia sobre um casamento entre ciganos, se bem compreendemos, a decorrer no Cartaxo. Nada de anormal! Já outras vezes a TV tem mostrado casamentos entre ciganos, normalmente de ciganos ricos e com poder económico para convidar muitos familiares e amigos e dar-lhes “festa” durante três dias. Ao que parece os ciganos são como os caucasianos, como os africanos, ou como os asiáticos, os que podem fazem grandes festas, os que não podem juntam os trapinhos e assim passarão…
Mas o que nos despertou a atenção terá sido o relato de várias “cerimónias da praxe” a que os noivos se sujeitam. Sendo uma delas atirar confeitos e amêndoas aos noivos.
A tradição ainda é o que era!
 
Todas as regiões do nosso país, tiveram ou têm ainda as suas tradições e praxes nos casamentos. Não nos referimos a festas de despedida de solteiro ou solteira, que são umas importações manhosas, sem qualidade e normalmente de baixo nível, mas que cada um é livre de fazer.
Desde o namoriscar ao namoro, seguindo-se o noivado, as tradições e praxes populares tinham algo de mais profundo e significativo.
Terra havia em que o almoço era feito em casa do noivo, para os convidados dele e em casa da noiva, para os convidados dela. Saia-se em cortejo de casa do noivo em direcção à casa da noiva e iam todos ao casamento na igreja. O jantar era em comum. As amigas da noiva serviam à mesa. No fim, pela noite dentro, seguia-se o bailarico ao toque do harmónio ou concertina.
Noutros sítios, os pais iam buscar os padrinhos às casas deles e  “traziam-nos” até à sua. No momento antes de sair de casa, os noivos, cada um na sua, ajoelhavam-se perante os pais e pediam-lhe a bênção.
 
Na Sarzedas davam-se confeitos, na rua, aos meninos pequenos que iam ver os noivos chegar e era praxe atirá-los aos noivos e não só, durante a boda, era um “bombardeamento” constante mas ao mesmo tempo uma espécie de brinde, um desejo de qualquer coisa boa. Naturalmente não seria um uso cigano, porém alguns ciganos mantêm ainda a tradição! Atiravam-se flores aos noivos quando saíam da igreja e quando chegavam a casa.
Não na Sarzedas, mas em aldeia próxima, Casal d’Além, vimos passar os noivos por baixo de um arco de madeira, forrado/enfeitado com lenços das senhoras, chamados lenços de cachené, que afinal poderiam ser de cache-nez ou simplesmente de usar na cabeça, sendo de lã ou de seda. E também com fios e cordões de ouro que todos emprestavam para o acto. Nesse arco estava ainda um espelho pendurado, onde os noivos deveriam ver a sua imagem.

 

Algumas curiosidades:
 
LUA DE MEL
Dizem que o termo lua-de-mel surgiu na Germânia, actual Alemanha, pois era costume do povo que habitava a região casar-se na Lua Nova e ao luar beber uma mistura de água e mel.
Os pregões
Era costume anunciar na igreja paroquial os “pregões” ou “proclames", com os nomes do noivo e da noiva, nas três semanas antes da data prefixa para o respectivo casório. A publicitação, para que todos soubessem e no caso de haver algum impedimento legal, fosse denunciado, de modo que o casamento, nesse caso, não se realizasse. Por esta razão se popularizou o ditado: “Diz agora ou cala-te para sempre”. O Direito Canónico previa, no entanto, a possibilidade de não se publicarem os pregões, mediante o pagamento duma taxa pelos noivos. Estes não deveriam ir à missa onde o padre lia os pregões, sob pena de lhes fugir a felicidade. Actualmente alguns padres, ainda afixam os proclames no placar da igreja.
 
O Ramo da noiva
Dizem uns, que a tradição das noivas levarem um ramo na mão começou há séculos atrás em Inglaterra, quando as noivas inglesas levavam ramos feitos com tomilho, alho e salva selvagem, para afastar os maus espíritos da vida do casal.
Dizem outros que o bouquet  surgiu na Europa. O Inverno rigoroso do continente europeu impossibilitava o banho diário, o que acarretava um odor desagradável nas pessoas. Para disfarçar o mau cheiro, as noivas colhiam as flores mais perfumadas da região, juntando-as numa espécie de ramo  que transportavam junto ao peito no momento da cerimónia. Os casamentos eram realizados no fim da Primavera e no Verão.
Hoje o bouquet está instituído, é uma tradição nos casamentos e dizem que simboliza felicidade ao novo casal.
FLORES AOS NOIVOS
Antigamente atiravam-se flores aos noivos, à saída da igreja e à chegada a casa. Hoje em dia parece começar a haver um reavivar destes costumes. Felizmente abandona-se a ideia, importada nos anos setenta, de atirar arroz. Dizem uns que é uma cópia norte americana, dos filmes e não só, dizem outros que a tradição de atirar arroz aos noivos, nasceu há mais de dois mil anos na China, quando um mandarim proporcionou à sua filha um casamento debaixo de uma chuva de arroz, por representar fartura.  
Dizem, também, que significa desejar felicidade e fertilidade ao casal.
Nós por cá, gostamos mais de flores!
São símbolo de alegria!
Independentemente do significado individual que lhes possamos atribuir.
 

 

Dizem que:
-Lírios brancos significam virtude e pureza. "Contigo estou no céu."
-Orquídeas brancas ou rosadas significam amor, beleza e requinte. "Espero que tenhas muitos filhos."
-Rosas brancas significam inocência. "Eu mereço-te."
-Rosas vermelhas significam amor. "Amo-te."
-Frésias brancas ou amarelas significam protecção.
"Espero que realizes os teus desejos."
-Íris azuis significam destino e sabedoria. "Os meus cumprimentos".
 
 
E que:
 
 
A ORQUÍDEA REPRESENTA A SEXUALIDADE NA SUA FORMA MAIS EXCÊNTRICA E NOS SEUS TONS INEQUÍVOCOS.
A TULIPA REPRESENTA A ELEGÂNCIA E ASENSIBILIDADE. AS SUAS CORES PODEM ADEQUAR-SE A QUALQUER ESTILO E A SUA PRESENÇA TORNARÁ TUDO MUITO SUAVE.
A MARGARIDA É SÍMBOLO DA VIRGINDADE E DA INOCÊNCIA E A SUA COR NATURAL REPRESENTA ISSO MESMO: INOCÊNCIA, PUREZA E PAZ.
O GIRASSOL REPRESENTA A FORÇA POSITIVA DO SOL, TRANSMITINDO CALOR, FORÇA E INTEGRIDADE. A SUA COR REPRESENTA FELICIDADE, ALEGRIA, ORGULHO E AMIZADE.
A ROSA É CONSIDERADA A MAIS ROMÂNTICA DAS FLORES SIMBOLIZANDO PAIXÃO ETERNA. A COR VERMELHA REPRESENTA O AMOR, PAIXÃO, CORAGEM E RESPEITO.
O JASMIM POSSUI UM PERFUME EXÓTICO SIGNIFICANDO SORTE E ALEGRIA. É CONSIDERADO O REI DAS FLORES DEVIDO AO SEU PERFUME FORTE. A SUA COR REPRESENTA INOCÊNCIA, PUREZA E PAZ.
A GERBERA, COM AS SUAS CORES MAIS VIVAS REPRESENTA ALEGRIA, PUREZA E SIMPLICIDADE
 
publicado por Sir do Vasco às 00:04

02
Fev 09

 

 

 

 A MEUS PAIS

 

1951

 

2008

DERAM-ME TUDO O QUE TENHO,

ENSINARAM-ME TUDO O QUE SEI !

OBRIGADO! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Sir do Vasco às 12:03

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO